Biodigestor é implantado em propriedade rural no Jonas Pinheiro

Imagine dar destino correto aos dejetos dos suínos na pequena propriedade e ainda transforma-lo em gás de cozinha? Essa já é uma realidade no sítio Nossa Senhora Aparecida, do Sr. Expedido dos Santos, no assentamento Jonas Pinheiro. O Biodigestor implantado na propriedade tem a função de coletar os resíduos dos doze suínos e através de um processo de tratamento de biodigestão gerar biogás e biofertilizante.

O biodigestor do tipo tubular foi adaptado ao chiqueiro já existente na propriedade para evitar custos. Os resíduos são diluídos em água e passam pelo tratamento através de micro-organismos que liberam gás metano. O produto é armazenado em um bolsão e uma canalização permite que o gás chegue ao fogão gerando assim economia para a família. Por dia são produzidos cerca de 3 metros cúbicos de gás, suficiente para uma família de 5 pessoas.

O consultor do Sebrae, Glaucinei Brissow Realto explica que além do gás o bolsão também armazena o biofertilizante que depois de recolhido é utilizado na horta. “A tarefa dos proprietários é abastecer o biodigestor com os dejetos e direcionar o biofertilizante”.
A filha do Sr. Expedido, Maria Aparecida ficou entusiasmada com o resultado. “Com o botijão de gás em Sorriso custando mais de 80 reais a economia vai ser grande. Podemos usar esse dinheiro em outra coisa.

A experiência foi conhecida pelos demais integrantes do projeto e agora a ideia é que cada um construa seu próprio biodigestor. “A maioria conhecia de nome, mas nunca tinha visto um biodigestor funcionando. Eles ficaram impressionados”, afirmou o consultor do Sebrae.
A implantação do biodigestor é mais uma ação do projeto Gente que Produz e Preserva do Clube Amigos da Terra, (CAT Sorriso), através dos conceitos da agroecologia. O objetivo é trabalhar incentivando boas práticas junto aos pequenos produtores da agricultura familiar no Assentamento Jonas Pinheiro.

Desde que começou o trabalho é realizado com quinze famílias que recebem orientações técnicas, trocaram experiências e aplicaram em suas propriedades sistemas mais produtivos e sustentáveis para aumentar a produção reduzindo custos.
As assistências técnicas foram levadas mensalmente através de consultores do Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas em Mato Grosso, o Sebrae-MT e técnicos do CAT. O engenheiro agrônomo do Clube Amigos da Terra, Rafael Borges explica que esse ano, o projeto será ampliado para chacareiros do assentamento Casulo que tiverem interesse. “É mais um passo importante para ajudar os pequenos produtores a produzirem mais com menos custos com planejamento e seguindo as orientações técnicas”, afirmou Borges.

Contato

Para fazer parte do projeto basta entrar em contato com o CAT pelo telefone (66) 3544-3379 ou ir pessoalmente até o Clube Amigos da Terra que fica na Av. marginal esquerda, no segundo piso do Sindicato Rural de Sorriso. As demandas também podem ser feitas pelo e-mail catsorriso2@catsorriso.com.br.

Apoio

O projeto conta com o apoio da WWF Brasil, Solidariedad, IDH e Bel

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: