CAT participa de debate sobre instalação de laticínio em Sorriso

O Clube amigos da Terra, CAT Sorriso, participou ontem (19), de uma reunião com representantes do Poder Público Municipal, a Empaer, Sindicato Rural, Sebrae e produtores rurais, para tratar da instalação de uma usina de beneficiamento de leite e derivados lácteos no Assentamento Jonas Pinheiro.

A previsão é que inicialmente sejam beneficiados no local três mil litros de leite diariamente. Contudo, de acordo com a equipe técnica da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, as instalações irão comportar até cinco mil litros de leite/dia.

O prefeito Dilceu Rossato explicou que estão em fase final o projeto técnico e o levantamento de custos do projeto. “Finalizando isso, serão 45 dias para a licitação da aquisição do material e após isso daremos início à estruturação do espaço. Nosso objetivo é entregar essa estrutura o quanto antes para os produtores poder trabalhar”, garantiu o prefeito.

Segundo o produtor rural Márcio Kuhn, os agricultores formaram uma comissão com as entidades e criaram um plano de trabalho para por em prática assim que a usina estiver em funcionamento. A intenção, segundo ele, é disponibilizar o espaço para uso de todos os produtores da bacia leiteira.

No momento, 24 produtores rurais do Assentamento Jonas Pinheiro e do Projeto Casulo integram o projeto Balde Cheio e produzem aproximadamente três mil litros de leite por mês. O programa é desenvolvido no município pelo Sebrae, CAT, Cooperideal, com o apoio da SAMA, Sindicato Rural e Empaer.

O engenheiro agrônomo do CAT, Rafael Borges, responsável pela assistência técnica do programa, ressalta que quando o mesmo foi implantando algumas propriedades produziam cerca de 150 litros de leite mensais e hoje chegam a 290 litros/mês. “Estamos tendo uma grande evolução, iniciamos sempre com uma conversa com o produtor. Muitos têm como meta chegar a 500 litros, então todo o apoio é importante”, destacou.

Uma das possibilidades para incrementar a produção, após a instalação da usina de beneficiamento discutida na reunião, é comercializar o leite diretamente com a Prefeitura Municipal. “Podemos verificar a possibilidade de adquirir para a merenda escolar como produto da agricultura familiar”, salientou o prefeito. Ao ano, são consumidos 47 mil litros de leite na merenda escolar.

Garantir um mercado para a produção leiteira, inicialmente com a comercialização para a merenda escolar e no mercado local, é inclusive uma das metas do plano de ação já elaborado pela comissão. Outra meta é comercializar 10 mil litros de leite/dia a partir do primeiro ano de funcionamento da usina, bem como assegurar apoio técnico profissional e de vigilância sanitária.

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: