Participação no Conferência RTRS é vista como positiva por produtores certificados

Produtores rurais de Sorriso que participaram da 11° Conferência Anual da Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS), voltaram pra casa com uma certeza: “A certificação é o caminho”. A frase dita pela produtora Ledair Cella reflete a opinião de outros quatro agricultores que assim como ela passaram dois dias em Brasília acompanhando as discussões e troca de experiências entre produtores rurais, representantes da indústria, governo e sociedade civil sobre o futuro da soja responsável.

Para diretora de sustentabilidade do CAT e idealizadora do Projeto Gente que Produz e Preserva, Cynthia Moleta Cominesi, foi muito importante a participação dos produtores no evento. “Participar da conferência foi uma forma dos produtores verem com seus próprios olhos a importância de fazerem parte da Mesa Redonda da Soja Certificada RTRS um movimento que tem importância global. Nós do CAT vamos continuar trabalhando para que mais e mais produtores participem deste movimento em prol da soja sustentável“, concluiu a diretora.

Promovida anualmente, em diferentes países, a Conferência dessa vez falou na união de forças. Além das discussões centrais foram introduzidos temas para debate em três sessões paralelas: Planejamento da paisagem e inteligência, Fornecimento Responsável na cadeia de suprimentos e Tecnologia e inovação no campo e Abordagens jurisdicionais. Um dos temas teve como participante o presidente do CAT, Darcy Getúlio Ferrarin. Para ele, a participação foi essencial para entender as exigências do mercado e a importância do produtor no processo. “A terra é nosso ganha pão e precisamos preservar. O mercado está se tornando cada vez mais exigente e quem estiver certificado vai ter vantagens. O produtor precisa ser reconhecido e valorizado”, afirmou Ferrarin.

Em Sorriso nove propriedades foram certificadas no padrão internacional RTRS e um novo grupo de produtores se inscreveu e está na fase de auditoria. O desafio é cumprir com os critérios estabelecidos pela RTRS e com isso provar que aqui se produz, mas também se preserva.

O presidente da RTRS, Olaf Brugman conta que a América do Sul possui uma quantidade maior de produtores enquanto que na Europa se encontram os compradores de soja sustentável. “Ter 100% de soja sustentável será uma tarefa heroica, mas é juntando forças que conseguiremos fazer isso. Atualmente temos globalmente 3,2 milhões de toneladas de soja sustentável e o Brasil representa 1,5 milhão desse total. Temos crescido consistentemente e em 2015 aumentamos 20% nosso número de membros em relação a 2014, adesão que vem principalmente empresas que produzem alimentos”, afirmou Brugman.

Os produtores também participaram de mesas redondas para que juntos identificassem quais os fatores que motivam e desafiam a agenda de soja sustentável e quais são as necessidades de cada grupo para avançar nessa agenda. Conhecer a certificação estava entre necessidades apontadas pela maioria dos grupos.

Para o casal de produtores Dudy e Luis Fernando Paiva a participação no evento foi extremamente válida. “As discussões foram muito produtivas. Voltamos com ainda mais vontade de continuar fazendo a coisa certa”, afirmou a produtora.

A mesma opinião é compartilhada pelo produtor Pedro Vigolo. “Vamos tentar participar das discussões sempre que for possível para dar continuidade ao que nos propomos: Produzir e Preservar“, afirmou Vigolo

Contato

O Clube Amigos Da Terra está aberto para receber novos produtores interessados em fazer parte do Projeto Gente que Produz e Preserva. O CAT fica no segundo piso do Sindicato Rural de Sorriso e o telefone de contato é o (66) 3544-3379.

Visite também o nosso site www.catsorriso.com.br nele é possível conhecer o projeto e ter acesso ao guia passo a passo parasse tornar um produtor de soja RTRS.

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: