CAT recebe certificados por projetos selecionados em prêmio nacional

Foi entregue ontem (21.06) no teatro Maria Sylvia Nunes, na estação das Docas, em Belém no Pará, o prêmio “Gestão Ambiental no Bioma Amazônia”, iniciativa do IBAM, no âmbito do Programa de Qualificação da Gestão Ambiental – Municípios Bioma Amazônia, com recursos do Fundo Amazônia/BNDES.

O prêmio visa identificar e certificar as boas práticas desenvolvidas em municípios brasileiros do bioma Amazônia. O IBAM recebeu 140 inscrições – 61 práticas foram habilitadas e 10 premiadas. Foram concedidos dois prêmios por categoria, um para a melhor prática desenvolvida por Governo Municipal e outro concedido à melhor prática executada por organização da sociedade civil ou cooperativa.

O Clube Amigos da Terra, CAT Sorriso, teve dois projetos selecionados: o “Sorriso Vivo” na categoria Educação Ambiental e o Projeto Gente que Produz e Preserva na categoria Produção Sustentável e Incentivos destinados à Conservação.

O diretor técnico do CAT, Alfeo Augusto Trecenti, representou a associação e recebeu os certificados de reconhecimento de mérito. “Tenho muito orgulho em fazer parte do CAT. Diariamente temos prova de que, mesmo com pouco recurso e equipe reduzida, é possível trabalhar em prol da preservação do meio ambiente”.

Cynthia Cominesi, diretora de sustentabilidade do CAT, também comemorou o reconhecimento. “Apesar de não estarmos entre os dez premiados é uma honra para o CAT ter sido selecionado”. Mostra que estamos no caminho certo e nos dá ânimo para continuar desenvolvendo nosso trabalho”, disse a diretora.

O Programa de Educação Ambiental Sorriso Vivo nasceu em 2006 como um projeto, mas depois de nove anos de existência, se tornou um programa que desenvolve uma série ações e projetos. Todos, no entanto, com o mesmo objetivo: promover o melhor aproveitamento econômico e social dos recursos naturais de Sorriso.

Já o projeto Gente que Produz e Presernva, desenvolvido em parceria com a WWF Brasil, Instituto Centro de Vida, Bel, Solidariedad e IDH, promove um sistema de produção de soja sustentável em prol da proteção da biodiversidade no estado do Mato Grosso.

Os produtores que fazem parte do projeto passaram a produzir soja, respeitando todas as normas de trabalho e regras ambientais, o que resultou na certificação da produção. Com isso aumentar a eficiência na gestão da propriedade, demonstrando a conformidade legal, social e ambiental da produção. Novas portas se abriram no mercado internacional mais exigentes, principalmente o europeu.

Conheça as práticas premiadas por categoria:

Ordenamento Territorial e Fundiário

Regularização e Adequação Ambiental em Imóveis Rurais Relacionadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) – Prefeitura Municipal de Cotriguaçu – MT

Fórum Diálogo Amazonas: regularização fundiária urgente! – Instituto Internacional de Educação do Brasil – AM

Monitoramento, Controle e Recuperação Ambiental

Processo Participativo de Recuperação Ambiental das Nascentes Contribuintes do Sistema Municipal de Abastecimento – Prefeitura Municipal de Paranaíta – MT

Programa de Monitoramento Participativo nas Unidades de Conservação do Programa Bolsa Floresta (PPDUC) – Fundação Amazonas Sustentável – AM

Produção Sustentável e Incentivos destinados à Conservação

Projeto Conservador das Águas de Brasil Novo – Prefeitura Municipal de Brasil Novo – PA

Implantação da Cadeia Produtiva da Madeira na Resex Ituxi – Instituto Floresta Tropical – AM

Governança Socioambiental

Sinop Sem Fogo – Projeto Paranka de Prevenção e Combate às Queimadas
Prefeitura Municipal de Sinop – MT

Governança Socioambiental no Marajó
Instituto Floresta Tropical – PA

Educação Ambiental

Sala Verde Caeteuara – Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Bragança – PA

Formar Florestal – Instituto Internacional de Educação do Brasil – PA

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: