Encontro Regional de Sistemas Produtivos trará especialista em Integração Lavoura Pecuária

O evento é uma realização do Clube Amigos da Terra – CAT Sorriso em parceria com o SENAR, Embrapa, IMA, Sindicato Rural e Prefeitura de Sorriso e será realizado no dia 24/04 no IMA – Instituto Mato-grossense do Algodão.

Um dos palestrantes é o agrônomo, doutor em Ciência do solo, professor da Universidade Federal de Rondonópolis, Edicarlos Damacena de Souza, para abordar sobre sistemas integrados “Faremos uma abordagem sobre sistemas integrados modernos, para serem aplicados nas propriedades, principalmente para quem tem como atividade principal a lavoura e que entra como atividade secundária a pecuária, de modo que o produtor tenha novas opções de sistemas produtivos para serem utilizados nas propriedades”

As experiências tem sido positivas neste sentido quando se fala em ILP – Integração Lavoura Pecuária. “Os produtores tem relatado que a integração é um caminho sem volta. Pela atividade que ele vai começar a usar na propriedade e chega um momento em que ele não consegue deixar de fazer porque em anos que principalmente o clima tem prejudicado a lavoura, a pecuária tem sustentado a propriedade de forma geral, porque é menos sensível às intempéries. Propriedades tem mudado a qualidade do solo, a produtividade dos cultivos com a adoção dos sistemas integrados”.

O sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta ou Agrossilvopastoril: sistema de produção que integra os componentes agrícola, pecuário e florestal em rotação, consórcio ou sucessão, na mesma área. Porém o especialista explica que em determinadas áreas esta tecnologia da integração com o componente florestal não se encaixa muito bem. “O componente florestal é um componente interessante dentro de um sistema integrado, mas depende muito da região em que ele vai ser adotado, é uma tecnologia interessante, porém é para um nicho específico de mercado. Tem regiões em que se demanda o componente florestal, seja para a produção de madeira ou produção de energia, em indústrias ou em fabricas de celulose, então apara essas regiões especificas ela é uma boa alternativa. Mas aqui em Mato Grosso o que tem emplacado é um sistema sem o componente florestal, é uma boa tecnologia, mas em algumas regiões especificas. É possível adotar a tecnologia desde que bem planejada, bem delineada para atender a realidade da região”.

Saiba mais sobre o palestrante:

Edicarlos Damascena de Souza

É graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Goiás; mestrado em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e doutorado em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É professor adjunto da Universidade Federal de Rondonópolis e coordenador do Grupo de Pesquisa e Inovação em Sistemas Puros e Integrados.

Faça sua inscrição aqui: http://www.catsorriso.com.br/pagina/10-inscricao-sistemas-produtivos

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone do CAT – (66) 3544-3379.VVVVVVvv

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: