Declaração da RTRS sobre a situação da Amazônia e do Cerrado

Os incêndios na Amazônia e no Cerrado são, atualmente, tema de grande preocupação global e vão muito além do Brasil, incluindo o Chaco argentino, boliviano e paraguaio.

As práticas agrícolas sustentáveis representam uma contribuição concreta para a resolução das questões de sustentabilidade na produção de soja, melhorando os métodos de produção nas fazendas e possibilitando que todas as partes da cadeia de suprimento de soja também assumam essa responsabilidade.

A RTRS é uma plataforma que reúne diversas partes interessadas para discutir e desenvolver soluções com o objetivo de gerar consenso em relação aos principais impactos econômicos, sociais e ambientais da soja. A RTRS acredita que é essencial evitar a destruição da floresta tropical e incentivar a colaboração com outras associações e iniciativas para discutir, juntamente com os governos e o setor privado, maneiras de implementar os instrumentos já existentes e proporcionar benefícios e apoio aos produtores e organizações que buscam práticas agrícolas mais sustentáveis. Os esforços permanentes para catalisar ações em prol do desmatamento zero e a conversão zero de florestas e vegetações naturais precisam ser ampliados.

Desde 2006, a RTRS vem trabalhando incansavelmente para garantir a adoção de práticas sustentáveis de produção de soja e melhores sistemas de gestão da terra nos locais de cultivo de soja sustentável e certificada.

O sistema de desmatamento zero e conversão zero da RTRS proíbe práticas agrícolas insustentáveis na produção de soja e não permite práticas que contribuam para o desmatamento ou incluam a conversão de qualquer terra natural; isso significa que não é permitida a conversão de vegetações naturais, encostas íngremes e áreas designadas por Lei para fins de conservação nativa e/ou proteção cultural e social.

O padrão de certificação da RTRS é bastante ativo na Amazônia e no Cerrado.

Segundo dados da RTRS sobre o Brasil, em 2018 havia 1.041.886 hectares e 3.919.545 toneladas de soja certificada pela RTRS e 595.782 hectares de áreas protegidas no país. Somente na Amazônia, 205.895 hectares e 708.755 toneladas foram certificados pela RTRS, que registrou o total de 168.124 hectares de áreas protegidas. Dados sobre esse mesmo ano também mostram que, na região do Cerrado, 835.990,57 hectares e 3.210.789 toneladas de soja foram certificadas pela RTRS, com 427.658 hectares de áreas protegidas.

Para cada hectare de soja, 0,59 hectare é composto por florestas preservadas; isso mostra que os produtores que adotam práticas sustentáveis e responsáveis preservam as áreas de vegetação nativa mesmo nos casos em que a conversão é permitida por Lei.

De acordo com os nossos dados, podemos confirmar que, até o momento, nenhuma fazenda certificada pela RTRS ou área protegida foi afetada pelos incêndios.

A produção de soja não deve comprometer a biodiversidade global – esse é o nosso ponto de partida. A RTRS acredita que devemos

trabalhar juntos em uma abordagem conjunta para tornar as cadeias de valor (da soja) verdadeiramente sustentáveis.

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: