Consultor explica como é o processo de certificação e o acompanhamento junto às propriedades

Coordenador de Projetos de Sustentabilidade e Consultor da empresa Sustenágil Consultoria, Elton Caixeta esteve em Sorriso onde palestrou para um grupo de produtores sobre a “Certificação e Seus Impactos na Propriedade e Acesso ao Mercado Internacional”.

Segundo Caixeta, a certificação só serve se for acompanhada de um trabalho bem feito, e se houver consciência do produtor. “A ideia é que ele contribua diretamente com a melhoria do processo, seja ele produtivo, seja na gestão ambiental ou de pessoas. É importante que o produtor tenha consciência de que A RTRS ou qualquer outro programa de certificação é uma forma de dar consciência ao seu negócio e que existe possibilidade de melhoria. É preciso estar com a mente aberta para implementar o programa e conseguir alcançar esses resultados e usufruir desses benefícios de forma direta, proporcionando um ambiente de trabalho socialmente justo e uma fazenda ambientalmente correta e mais organizada.”

Elton diz que tem mudado a mentalidade e a forma de encarar o produtor rural em relação ao meio ambiente que vinha sendo visto como um vilão do meio ambiente. “O produtor não é inimigo do meio ambiente o produtor compreende a importância do meio ambiente, da floresta, da natureza para o seu contexto e sabe que um solo degradado não vai entregar para ele uma produtividade adequada. Mudou essa visão do produtor. Antes havia mais situações degradantes de trabalho e hoje não temos mais fazendas são empresas do agro e temos maquinários modernos, profissionais treinados, alojamentos de qualidade para abrigar os trabalhadores, boa alimentação até mesmo acompanhada de nutricionistas e tudo isso é impacto positivo para a produção sustentável.”

Caixeta explica como é o trabalho de consultoria e o acompanhamento para quem já esteja em processo de certificação. “O produtor que deseja certificar sua propriedade, o primeiro passo que ele deve tomar é buscar uma empresa de consultoria ou parceira como o CAT para que ele decida qual o padrão mais lhe interessa e comece a seguir as etapas de preparação, a primeira a mobilização compreendendo o processo como deve ser feito, segundo passo o diagnóstico situacional da propriedade, que é um pente fino onde são identificadas as possibilidades de melhoria, onde se identifica aquilo que tem de bom em primeiro lugar, aquilo que existe e pode melhorar e aquilo que não existe. Em seguida ele tem a entrega técnica do relatório e vai trabalhar as melhorias. Essa implementação, dependendo da propriedade em torno de um ano e pouco, depois ele recebe a auditoria de certificação que vai chancelar ou não que ele está certificado.

São muitos desafios, pois são mais de 100 itens a serem cumpridos dentro da propriedade, mas também existem muitos benefícios. “Se a gente pudesse elencar e mostrar os impactos diretos da propriedade, até os donos que estão acostumados a ver aquela imagem todos os dias se espantariam. A principal mudança vem na mentalidade, porque tudo se transforma no momento em que você entende que precisa certificar a sua propriedade. No diagnóstico é muito importante que quem fizer esse diagnóstico faça fotos para que daqui dois, três anos o produtor possa ter imagens comparativas para que ele possa ver e tocar sabendo que houve melhorias importantes e significativas no processo.”

Para os produtores interessados em fazer a adesão ao programa de certificação RTRS basta ligar 3544-3377. O CAT Sorriso funciona em sala anexa ao Sindicato Rural de Sorriso na Marginal Esquerda, 1415. Ou acessar o site: www.catsorriso.com.br.

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: