PRODUTORES DO PROJETO GENTE QUE PRODUZ E PRESERVA SÃO BONIFICADOS COM MAIS DE 2 MILHÕES DE REAIS PELOS CRÉDITOS DA CERTIFICAÇÃO RTRS EM 2020

Por meio de projetos Clube Amigos da Terra – Cat Sorriso, a Certificação RTRS (Associação Internacional de Soja Responsável) está em 27 fazendas de Sorriso. Os produtores rurais integram os projetos “Gente Que Produz e Preserva” e “Cultivando Vida Sustentável” e receberam mais uma remessa das bonificações pela venda do créditos da soja.

Desde 2015, já foram entregues ao todo, mais de 5 milhões de reais em bonificações pela venda de créditos na plataforma RTRS. Somente em 2020, já foram entregue mais de 2 milhões de reais aos produtores, divididas em duas remessas.

Dudy Paiva, presidente do Cat e produtora rural fala sobre o projeto “A gente tem uma certificação de soja sustentável e convidamos aquelas pessoas que ainda não tenham a fazenda certificadas para que procure o Cat para fazer essa certificação. Não tem nada além do que a gente já tem nas normas brasileira. A legislação é a mesma, a gente só precisa tem uma organização. Com essa certificação a gente passa a ter uma organização.”

Dudy ressalta também o protagonismo feminino frente ao agronegócio, que cada vez mais vem ganhando espaço nas fazendas “Com essa certificação a gente passa a ter a fazenda mais organizada. E estamos colocando também as mulheres dos agricultores a frente das fazendas na hora da organização, porque a mulher é mais atenciosa e detalhista”.

A agrônoma Julia Ferreira fala como é o trabalho do Cat que oferece um serviço de consultoria e acompanhamento dos produtores que fazem parte do projeto de certificação. “O Cat após a entrada dessas fazendas no projeto, o Cat passa a dar uma assistência tanto na parte ambiental, contábil, boas práticas de cultivo, segurança do trabalho. Acaba sendo um monitoramento a mais. O Cat vem junto a esses profissionais que já atendem as fazendas para estar melhorando alguns pontos que podem trazer mais sucesso no final do processo”.

Sobre a bonificação, Julia explica de que forma são gerados os créditos que são comercializados na plataforma: “A cada tonelada produzida pela propriedade é gerado um crédito. Esse crédito é colocado numa plataforma para ser comercializado, hoje principalmente para os países da Europa”.

O projeto está aberto a novos produtores interessados em aderirem à certificação “Estamos com um trabalho bem forte de engajamento dessas fazendas e estamos em busca de novos produtores. Estamos com uma parceria bem bacana com a Bayer que está oferecendo junto aos produtores que aderirem um subsídio de até 50% da anuidade do valor da certificação. É bem interessante, os proprietários das fazendas que tem vontade de estar entrando no projeto e que ainda não conhecem, é bacana estarem nos procurando para entenderem melhor esse processo e tenho certeza que a partir daí, passarão a fazer parte do nosso grupo”.

Outras 4 fazendas ingressaram recentemente ao projeto e o Cat está em busca de novos produtores interessados “Queremos ver se para o ano de 2021 nós conseguimos colocar mais 10 fazendas. Já estamos no caminho com essas fazendas novas. E muitos produtores acreditam ser muito difícil. E depois que conversa com nossa equipe, temos a Julia, a Luciana, que estão ajudando naquilo que o produtor encontra dificuldade, elas vão atrás de documentos, ajudam organizar essa parte da documentação. E eu sei o quanto é bom ter uma fazenda certificada por toda organização que temos na fazenda “.

Romeu José Chiochetta, sócio proprietário do grupo Morena, localizado em Campo Novo do Parecis também faz parte do projeto de certificação há dois anos e já vê grandes resultados: “Somos certificados RTRS com o Cat Sorriso desde 2018. De lá para cá, nós mudamos os nossos processos internos e a nossa visão sobre sustentabilidade. Com os créditos nós reinvestimos em treinamento e em tecnologia para melhor produzir e preservar”.

E sobre a bonificação pelos créditos Dudy ressaltou que o Cat vem conseguindo fazer uma boa comercialização na plataforma. “Esse ano foi bem vendido, vendemos quase tudo o que a gente tinha na plataforma. Agora entraram os créditos dessa nova certificação, porque cada vez que certifica tem os créditos da produção do ano passado. Então estamos negociando mais 47 mil toneladas para a Europa (Bel) eles são compradores desses créditos já desde o início. Então já recebi parte desse dinheiro, como vem, é físico? Não é um papel, você na verdade está vendendo só os seus créditos, não está vendendo o grão físico”.

Sobre a utilização do dinheiro pago pela bonificação dos créditos, Dudy Paiva disse que sempre busca melhorar a fazenda e neste ano fez um bom investimento, que pode se dizer, salvou a sua vida e da sua família durante um incêndio em sua fazenda, quando o fogo veio de outras propriedades vizinhas e acabou queimando toda a palhada e o pasto. “Esse ano teve um acontecimento na nossa fazenda e nós não tínhamos uma caixa de água grande. Neste ano pensamos em investir esses créditos nessa caixa d’água de 17 mil litros.  A fazenda pegou fogo no dia 04 de setembro e uns 15 dias antes a gente havia instalado a caixa d’agua. Muita gente não sabe mas os caminhões das fazendas e da prefeitura agora não pegam mais agua da represa, tem que ser acoplado ao cano que liga a caixa d’água. Foi essa caixa d’água e esses litros de agua que tinha lá que salvou 14 pessoas que estavam na parte de dentro da fazenda. Até hoje a gente está traumatizado. Então sempre vai ter um benefício, uma rampa que você faça, um curso sobre segurança do trabalho, sobre combate a incêndio, sobre como lidar com trator, é tudo muito importante. Os EPIs, isso é muito importante. Hoje não tem fazenda sem usar EPI, mas é difícil pegar ficha. A gente tem que ser organizado. Nossa fazenda certificada a Fazenda Santana, perdemos a palhada de 20 anos, a mata, mas a gente consegue provar junto a certificadora que não temos nada a ver com o fogo que chegou a nossa fazenda. Agora estamos começando novamente a vitrine tecnológica com o plantio de árvores de espécies nativas na fazenda”.

Atualmente o Projeto “Cultivando Vida Sustentável” conta com o apoio da Idh – Iniciativa Para o Comércio Sustentável.

Os produtores que tiverem interesse podem procurar o Cat junto ao Sindicato Rural, na Marginal Esquerda, 1415, Bom Jesus. Ou ligar 3544 -3379. Acesse o site: www.catsorriso.com.br.

Selecione o Idioma
Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: